Há coisas que não podem ficar entaladas cá dentro!

24
Mai 10

Olho para trás... tudo tem mudado com uma rapidez de certa forma assustadora. Há muito que deixei de ser aquela menina que corria pelos montes com os primos, aquela que se sentava durante uma tarde inteira debaixo do pessegueiro com o gatinho ao colo, ou a que se sentava ao sol posto nos degraus do terraço a comer o pão acabado de fazer. Há muito que deixei de ser aquela criança que se destacava dos outros, aquela que tinha o mundo nas mãos.

 

Já corri todos os montes que haviam para correr, o pessegueiro já não dá nem fruta nem sombra e os degraus estão empoeirados de esquecimento. Hoje percebo que sou só mais uma e que o mundo não está nas mãos mas sim nos pés.

 

Hoje sou o reflexo desses 19 anos que ficaram para trás. Sou a sabedoria de uma vida que ainda tem vontade de aprender mais, e mais... Sou todas as lágrimas que chorei e todos os sorrisos que esbocei. Sou todas as histórias que vivi e todas as que contei.

 

Sou 19 anos de vida e serei os que me restam viver.

 

Eu sou eu e é assim que vou continuar a ser...

publicado por Palavras Rasgadas às 15:25
sinto-me: Mais velha
música: Freddom - The beautiful Girls

23
Mai 10
Olá escuridão, minha velha amiga
Eu vim para conversar contigo novamente
Por causa de uma visão que se aproxima suavemente
Deixou suas sementes enquanto eu estava dormindo
E a visão que foi plantada em meu cérebro
Ainda permanece
Entre o som do silêncio

 

Em sonhos agitados eu caminho só
Em ruas estreitas de paralelepípedos
Sob a auréola de uma lamparina de rua
Virei meu colarinho para proteger do frio e humidade
Quando meus olhos foram apunhalados pelo lampejo de uma luz de néon
Que rachou a noite
E tocou o som do silêncio

 

E na luz nua eu vi
Dez mil pessoas talvez mais
Pessoas conversando sem falar
Pessoas ouvindo sem escutar
Pessoas escrevendo canções que vozes jamais compartilharam
Ninguém ousou
Perturbar o som do silêncio

 

"Tolos," eu disse, "vocês não sabem"
O silêncio é como um câncer que cresce
Ouçam minhas palavras que eu posso lhes ensinar
Tomem meus braços que eu posso lhes estender"
Mas minhas palavras
Como silenciosas gotas de chuva caíram
E ecoaram no poço do silêncio

 

E as pessoas curvaram-se e rezaram
Ao Deus de néon que elas criaram
E um sinal faiscou o seu aviso
Nas palavras que estavam se formando
E o sinal disse, "As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do metro
E corredores de habitações"
E sussurraram no som do silêncio
(Tradução da Letra)
publicado por Palavras Rasgadas às 14:22
sinto-me: No silêncio
música: The sound of silence

13
Mai 10

Desde pequenina que a minha educação tipicamente católica me ensinou a perdoar. Fui ensinada que devemos perdoar os outros, os que erram contra nós. Fui ensinada que não devemos esperar que os outros nos perdoem da mesma forma, porque talvez não lhes tenha sido ensinada a ilustre arte de perdoar. Mas também fui ensinada que se errei e fui perdoada não devo voltar a cometer os mesmos erros, posso não ter uma segunda hipótese.

 

Fui dotada do dom de perdoar. Orgulho-me disso! Mas tenho os meus limites...

 

Acho que não há uma única pessoa a quem eu não tenha dado uma segunda hipotese, ou mesmo terceira... ou até quarta. Mas a partir daí é rebaixar-me demasiado perante aqueles que me magoam.

 

O meu "eu" atingiu um limite. Disse "BASTA". Magoaram-me demasiado. Não ando a jogar "Eu desculpo" e "Não faz mal" á rua para que os usem durante um dia ou dois e depois os joguem fora. Aproveitem as oportunidades que têm. A vida não nos dá muitas. Deixem de olhar só na vossa direcção e de pisar os que vos querem bem como se fossem pedras no caminho. O mundo cada vez conhece menos o dom de perdoar...

 

E talvez eu esteja perdendo o meu...

 

 

 

publicado por Palavras Rasgadas às 11:32
sinto-me: Cansada de perdoar
música: Forgiven - within Temptation

04
Mai 10

Um sorriso compulsivo rasga o meu rosto. Um incessante desejo percorre o meu corpo. Somos os construtores deste nosso mundo e tudo o que quero é construi-lo o mais solidamente possivel. Quero resistir a qualquer vento, a qualquer tempestade. Vamos dar as mãos e correr para longe de tudo. Ficaremos isolados do mundo num mundo so nosso.

 

Susurra-me ao ouvido o que quero ouvir, por favor. Preciso de ouvi-lo. Abraça-me e não me largues. O medo de cair é tanto.

Salva-me desta escuridão que me assombra.

Mostra-me a luz e guia-me para a felicidade.

 

 

LY <3

publicado por Palavras Rasgadas às 14:35
sinto-me: Com medo de não ser feliz
música: Quero a felicidade - Daniela Mercury

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18
19
20
21
22

25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO