Há coisas que não podem ficar entaladas cá dentro!

01
Jun 13
Solidão é perceber que se ta a cair no abismo e que não vai haver la ninguem para amparar a queda.

Solidão é perceber que se neste momento de afliçao não está lá ninguém é porque ja todos desistiram de ti.

Solidão é estares junto à pessoa que amas e o silencio provocar um sentimento de repulsa por ti propria.

Solidão é caires ao chão, procures uma mão e encontrares o vazio cheio de caras voltadas.

E o medo maior é que seja a Solidão a minha companheira de vida!
publicado por Palavras Rasgadas às 00:45

24
Jan 13

"[...] N'uma espiral, de estranhas contorsões, 
E d'onde saem gritos e lamentos, 
Vejo-os passar, em grupos nevoentos, 
Distingo-lhes, a espaços, as feições... [...]"


Num TurbilhãoAntero de Quental

 

 

 

Relendo o que escrevi em linhas passadas releio-me também. Continuo sem perceber se realmente perdi o meu dom (o de perdoar) ou se simplesmente aprendi a selecionar as pessoas que o merecem receber.

Nunca virei a cara a ninguém, no entanto quando comecei a perder a capacidade de perdoar (ou a ganhar a de selecionar as pessoas certas) comecei também  a não sorrir mais para algumas pessoas. Transformaram-se em simples desconhecidos, fantasmas do acaso de uma dessas ruas que, por vezes, cruzo.


E não me arrependo!


"Valeu a pena", penso quando esses fantasmas tentam assombrar o meu pensamento. Fiquei livre de certos pesadelos que me torturavam os dias, por isso "sim" valeu a pena. 

 

Mas também olho para aqueles com quem partilhei o meu perdão e vejo que fiz a escolha mais acertada. Porque, hoje, eles dão-me vida e fazem-me esquecer os fantasmas de outros dias.

 

publicado por Palavras Rasgadas às 23:39
sinto-me: A mesma!

13
Out 10

Grande parte do meu passado está no canto das memórias "para apagar". Smplesmente ainda não cliquei na opção "apagar" porque, apesar de tudo, são uma lição. Se hoje sou o que sou é porque todas aquelas experiências passaram por mim. Eu sou aquelas experiências. Sou as quedas que dei, o resultado dos problemas em casa, o que sobrou da morte de um ente-querido...

 Temo o futuro... temo-o porque o dia de amanhã está traçado e não sei o que ele me reserva. Prefiro pensar no "agora", no "amanhã", no "depois de amanhã"... vá, no "daqui a dois ou três anos". Mas mais que isso não consigo. O medo de sonhar demasiado alto mistura-se com o de voltar a cair. Não sei quantas quedas aguento mais... Vou dando um passo de cada vez. É assim que me sinto segura.

Sei que hoje estou feliz... sinto-me bem com o que consegui. Sei a importância daquele que está ao meu lado, sei que o quero continuar a ter lá, e sei que ele também quer permanecer junto a mim. Isso para mim chega-me... agora!! E não, não digo "agora" porque talvez amanhã acorde e o que sinto mude. Sei que estes sentimentos viverão comigo para sempre. Digo-o porque a vida é feita de obstáculos e não sei até que ponto eu, ser humano, os conseguirei suportar.

 

No futuro apenas quero poder dizer: "Hoje, eu sou feliz".

 

 

 

"Cada um cumpre o destino que lhe cumpre,
E deseja o destino que deseja;
Nem cumpre o que deseja,

Nem deseja o que cumpre."

 

Ricardo Reis

 

publicado por Palavras Rasgadas às 22:11
sinto-me: Feliz
música: Bon Jovi - It's my life

Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO